DIY Eletrônica

Confecção de Placa de Circuito Impresso (PCI) Usando Ferro de Passar

Autor: Wederson M. Silva

Após criar o seu circuito em algum software como o Kicad, EAGLE, Fritzing, etc… O próximo passo é transferir o circuito para uma placa de fenolite.

Uma das maneiras utilizadas para a confecção de Placas de Circuito Impresso (PCI) é o método de transferência térmica. Nesse tutorial, eu vou mostrar como usar um ferro de passar roupa, entre outros materiais, para confeccionar a sua própria placa.

 1. Materiais

  • Impressora à laser;
  • Tesoura;
  • Papel fotográfico;
  • Ferro de passar;
  • Garfo;
  • Placa de fenolite;
  • Lã de aço;
  • Pincel marcador permanente;
  • Percloreto de ferro;
  • Perfurador de placa.

2. Procedimento

É muito importante utilizar papel fotográfico e impressora à laser (aquela que usa toner). Eu testei com outros tipos de impressora e papel, mas esses outros não funcionaram. É claro que existem outros métodos, porém, foi esse método que funcionou para mim.

Então vamos começar? Assumindo que o seu circuito já está todo desenhado no seu software de preferência. Agora você deve imprimir no papel fotográfico.

Circuitos impressos com impressora à laser

Verifique se a escala da impressão está correta, compare os espaçamentos com uma barra de pinos para ver se tudo está do tamanho certo. Eu imprimi várias cópias do meu circuito para tentar outras vezes, caso não funcione logo na primeira vez.

Dependendo do tamanho do seu circuito e da sua placa de fenolite, talvez seja necessário serrar a sua placa para que ela fique do tamanho aproximado do seu circuito impresso.

Após serrar a placa (ou não), corte o papel para que ele fique do tamanho da placa de fenolite ou um pouco maior. Depois você deve esfregar um pedaço da lã de aço com força sobre a superfície de cobre para que ela fique mais limpa e brilhante, o que vai facilitar a transferência. O corte do papel deve cobrir totalmente a superfície de cobre (lado brilhante) da placa de fenolite.

Lembre-se de não deixar marcas do seu dedo, ou outras impurezas sobre a placa ou sobre o papel. Qualquer coisa entre o cobre e o toner prejudicam o seu trabalho.

Circuito impresso e placa de fenolite

ATENÇÂO: A partir de agora o procedimento fica um pouco mais delicado. Dependendo da qualidade do papel utilizado, da potência do ferro de passar ou da pressão utilizada no ferro, o tempo que funcionou para mim, pode não funcionar para você. Porém, não deve ser muito diferente do que estou descrevendo aqui, você vai testando e vê o que deu certo, ok?

Ajuste o papel e a placa de maneira que o desenho do circuito (toner) toque o cobre da placa de fenolite.

Papel sobre a superfície de Cobre

Observe na foto acima que eu errei um pouco o corte do tamanho do papel (haha), mas como o erro foi pequeno, não teve problema.

Ligue o ferro em potência alta (eu coloquei no máximo) e espere ele esquentar. Agora posicionando sobre uma superfície plana a placa e o papel juntos, use o garfo para não deixar que o papel escorregue da placa antes de pressionar o ferro sobre eles.

Usando o garfo como auxiliar

Pressione o ferro sobre o papel por uns dois segundos (assim como na foto), apenas para que o toner cole um pouco na placa. Imediatamente depois, pressione o ferro sobre toda a placa durante 2 minutos e 30 segundos.

Não é preciso pressionar com muita força, faça apenas uma leve pressão durante todo o tempo indicado. Isso facilitará a transferência do toner.

Quando o tempo acabar, pode ser que a placa e o papel grudem no ferro, use o garfo para retirá-los e deixe esfriar. Após isso, separe cuidadosamente o papel da placa de fenolite.

Retirando o papel após transferência

Se o seu ferro for muito potente ou se você deixar tempo demais, a placa pode criar bolhas e você deverá descartar essa placa.

Bolha após aquecimento excessivo

Caso o seu ferro seja mais fraco ou se você o deixar pouco tempo sobre a placa, a tranferência será incompleta.

Transferência incompleta

Em caso de transferência incompleta, você ainda pode recuperar a placa esfregando a lã de aço com força sobre o toner.

Limpando a placa com uma lã de aço

Após algumas tentativas com o ferro, você vai ajustando o tempo e a pressão, até que a maioria do toner (ou todo ele) fique colado no Cobre.

Transferência quase completa do toner.

Você pode completar o desenho na placa usando um pincel marcador permanente. A tinta do marcador e o toner vão proteger áreas da placa para que não sejam corroídas.

Corrigindo falhas do toner na placa

O Percloreto de Ferro só irá corroer as áreas de Cobre exposto.

Placa após correção com pincel

Para não entrar em contato direto com o Percloreto de Ferro, devemos amarrar um pequeno fio na borda da placa. Assim, quando for necessário retirar a placa de dentro do liquido, bastará puxar pelo fio. Faça um buraco na placa usando um perfurador ou uma furadeira (ou outra coisa).

Furando a borda da placa

Eu costumo utilizar pequenos fios velhos de telefone ou de cabos RJ45 (cabo de rede). Nesse caso, você deve tomar cuidado para não amarrar a placa usando a parte interna do fio (Cobre), pois essa será corroída quando entrar em contato com o Percloreto.

Fio amarrado de forma INCORRETA

Se você for usar um fio desses, faça o nó usando a parte plástica do fio.

Fio amarrado CORRETAMENTE

ATENÇÃO: Agora você precisa diluir o pó de Percloreto de Ferro na água (se já não fez isso antes). Siga as orientações da embalagem e tome cuidado durante o procedimento. O Percloreto esquenta a água enquanto é diluído e durante o seu uso ele mancha facilmente (roupas, pele, piso…) e corrói superfícies metálicas (pias, panelas, cobre…). Por isso, você deve usar, manipular e armazenar o Percloreto em recipientes plásticos!

Percloreto de Ferro em recipiente plástico

Mergulhe a placa no Percloreto com o auxílio do fio que foi amarrado.

Mergulhando a placa no Percloreto

Deixe a placa totalmente submersa. O tempo de espera varia dependendo do tamanho da placa, temperatura do Percloreto e da quantidade de Cobre exposto na placa. No meu caso demorou 40 minutos em temperatura de 25º Celsius para essa placa de 5 x 2,5 cm.

Placa totalmente submersa em recipiente plástico.

Se o tempo não for suficiente, a corrosão será incompleta e na sua placa aparecerão alguns pedaços de Cobre (em rosa).

Corrosão incompleta

Se isso acontecer, basta mergulhar novamente a placa no percloreto e aguardar mais pouco. Faça isso até que a placa esteja livre de resíduos de Cobre.

Corrosão completa

Agora você pode lavar a placa em água corrente (longe de metais), e depois pode enxugar com um papel toalha ou algum pedaço de pano. Você também pode guardar em um recipiente plástico (garrafa PET por exemplo) o percloreto que foi usado, ele poderá ser usado novamente depois.

Enxugando a placa após lavar.

Depois de um tempo ela vai ficar bem seca e quase pronta.

Placa totalmente seca

Você pode guardar a placa da maneira que ela está. Porém, antes de furar e soldar você deve esfregar um pedaço de lã de aço com força para tirar o papel e a tinta da placa, sobrando somente o desenho em Cobre.

Placa de circuito pronta.

Sua placa está pronta! Agora você pode perfurar e soldar os seus componentes.

Deixe suas dúvidas, críticas e sugestões nos comentários, espero ter ajudado. 😀

Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *